SOCIEDADE NUMISMÁTICA PARANAENSE
Fundada em 06 de Abril de 1991
Reconhecida de Utilidade Pública pela Lei 8446 de 24/05/1994
Registro em Cartório de Tít. e Doe. do 2o Ofício, Reg. n° 676-084
CNPJ: 68.559-376/0001-74 ” INSC. MUNICIPAL: 262.092-1
A Sociedade Numismática Paranaense foi fundada sem fins lucrativos e tem como objetivo aproximar os associados através de reuniões e publicações, tais como: Boletins, Artigos, Informativos, Revistas, Jornais, etc; Facilitar a Busca de peças para coleção, estimulando, intensificando e difundindo o estudo constante da Numismática em geral.
Podem fazer parte da Sociedade, mediante inscrição, sem distinção, de sexo, cor ou nacionalidade, pessoas de reconhecida idoneidade e apresentada por outros dois associados.
Sócios Efetivos são os residentes no País. Sócios Correspondentes, os residentes no exterior. Sócios Juvenis, os com menos de 18 anos. Sócios Remidos, os que antecipam de uma só vez 20 anuidades. Sócios Fundadores, são os de número 001 a 067. E de conformidade com os Estatutos da S.N.P, existe ainda, os Sócios Beneméritos, são os que prestaram relevantes serviços a Sociedade, por proposição e aprovação unânime da Diretoria.
A Sociedade está aberta aos associados com anuidade em dia, normalmente no primeiro Sábado de cada mês, a partir das 13h30 horas, conforme calendário divulgado aos sócios. Faz reuniões e trocas indiretas, além de disponibilizar sua biblioteca com um acervo de literatura numismática, para consulta local aos associados.
A S.N.P. realiza periodicamente reuniões especiais, com Trocas Indiretas entre Associados, que serão comunicadas aos associados a seu tempo, informando-se a data e local do evento e a lista de peças numismáticas disponibilizadas.
SEDE PRÓPRIA
Av. Luiz Xavier, 68 – 1o Andar – SI. 108 – Ed. Tijucas – CEP: 80.020-020 Curitiba – Paraná – Telefone: (41) 3018-0644 e-mail: snp@snp.org.br – site: www.snp.org.br.

Segundo definições disponíveis, a Numismática seria o estudo artístico, histórico e econômico das moedas, cédulas e outros objetos com semelhança e de forma similar às moedas e cédulas usadas como moedas particulares, como fichas e vales, metálicas ou não.

A numismática nos permite deslumbrar a história por meio das moedas, cédulas e outros, quando nos faz conhecer as razões e motivos que as criaram, as circunstâncias históricas e fatos que as cercam.

As vezes os não iniciados confundem a filatelia com Numismática, mas a filatelia tem com seu assunto específico, os selos, que não fazem parte da Numismática.

Beneméritos

Antônio Tomaz
Cícero De Lima
Denis Roger E. Renaux
Marcos Aurélio Lepca

Remidos

Adelânio Ruppenthal
Antônio Tomaz
Arno Schonfelder
Cícero De Lima
Denis Roger E. Renaux
Hélio Augusto C. Guimarães
Henrique Goldenberg
Irlei Soares Das Neves
Izidoro Budziak
João Eduardo Kossatz Corrêa
José Soares Da Silveira
Luiz Carlos Boehm
Márcio Tadeu Bettega Bergo
Marcos Aurélio Lepca
Ricardo David
Roberto Sato
Thomas Radtke
Wilson Honorato Rodrigues

Essa coleção terá 4 séries com 32 cédulas no total.
Serão 27 dos estados, 4 para Curitiba e a última será do Brasil.
A primeira série foi lançada em outubro de 2019 e a intenção é lançar uma série para cada encontro nacional até abril de 2021 nos 30 anos da SNP.

Estatuto Da Sociedade Numismática Paranaense

Art. 1o A Sociedade Numismática Paranaense, é uma associação civil sem fins lucrativos, na forma dos artigos 53 e seguintes do Código Civil, com duração indeterminada, fundada em seis de abril de 1991, com sede própria na cidade de Curitiba, Estado do Paraná, na Av. Luiz Xavier, 68,1o andar, sala 108, Edifício Tijucas, inscrita no CNPJ sob n° 68.559.376/0001-74 tendo sido reconhecida de Utilidade Pública Municipal pela lei N° 8446 de 24 de maio de 1994 e registrada em Cartório de Títulos e Documentos do 2o Oficio, registro 6458 – Livro A4.

Art. 2o A Sociedade Numismática Paranaense, ora simplesmente denominada SNP, tem sede e foro na Capital do Estado do Paraná e reger-se-á pelas disposições do presente Estatuto e pelas leis que lhe forem aplicáveis.

Art. 3o A Sociedade Numismática Paranaense, associação de caráter cultural, tem por finalidade estimular e difundir o estudo da numismática, principalmente a brasileira e para tais objetivos a associação se propõe a:

I – manter e desenvolver Biblioteca especializada em assuntos numismáticos e ciências afins;

II – aproximar e integrar os associados;

III – promover, organizar e participar de exposições, conferências e congressos de âmbito nacional e internacional, sobre os diversos temas que compõem a numismática;

IV – promover ou estimular a publicação de boletins, livros, revistas e outras obras sobre a numismática;

V – comemorar as suas próprias efemérides, fatos históricos nacionais e outros, inclusive com a cunhagem de medalhas, a juízo da Diretoria;

VI – promover entre os seus associados, intercâmbios e permutas de moedas, medalhas, cédulas, condecorações e outras espécies numismáticas;

VII – promover ou patrocinar cursos, palestras, seminários, etc, sobre a numismática, visando sua maior difusão e divulgação;

VIII – estimular o intercâmbio das associações que tenham objetivos afins.

SEÇÃO I – da Categoria dos Associados

Art. 4o O quadro associativo será composto por três categorias:

I – Efetivos: os residentes em território nacional;

II – Correspondentes:os residentes no exterior;

a) o associado Correspondente, que vier a residir no Território Nacional, passará a categoria de Efetivo, após comunicação do novo domicílio, feita por escrito à SNP e da mesma forma o Efetivo que se mudar para fora do Território Nacional terá a sua condição alterada para Correspondente.

III – Institucionais: pessoas jurídicas admitidas a critério da Diretoria. Parágrafo único. Os associados Institucionais poderão ser isentos do pagamento das contribuições anuais, desde que comprovadamente exerçam atividades culturais e/ou filantrópicas e que ofereçam, sendo possível, reciprocidade.

Art. 5o As subcategorias dos associados serão as seguintes:

I – Contribuintes: os associados sujeitos aos pagamentos de anuidades no valor fixado pela Diretoria, sendo que os jovens até o ano em que completem dezoito anos, residentes no território nacional, pagarão anuidades correspondentes a cinqüenta por cento do valor pago pelos sócios maiores de dezoito anos.

II – Remidos: ficam isentos do pagamento de anuidades, os associados que contribuem com vinte anuidades de uma só vez e com aprovação prévia da Diretoria ou após completarem trinta e cinco anos de contribuição normal.

a) em ocasiões especiais a critério da Diretoria, poderá haver uma campanha para associados remidos, cujos termos e condições deverão ser regulamentados por esta última.

III – Beneméritos: os associados que tenham prestado serviços relevantes a SNP ou à numismática em geral e que por proposta da Diretoria tenha obtido a homologação deste título por no mínimo dois terços dos presentes em Assembléia Geral. Estes poderão ser isentos de pagamento de anuidade, a critério da Diretoria.

IV – Fundadores: os associados de números 1 (um) até 65 (sessenta e cinco).

SEÇÃO II – da Admissão dos Associados

Art. 6o Poderão fazer parte da SNP pessoas físicas de reconhecida probidade, sem distinção de sexo, nacionalidade, raça e religião, ou pessoas jurídicas, desde que atendidas as disposições do Artigo 4o.

Art. 7o A admissão do associado dar-se-á mediante proposta padrão preenchida e assinada pelo candidato, apresentado por dois outros associados no gozo de seus direitos sociais, contendo, no caso de pessoa física a sua qualificação pessoal e profissional, acompanhada de comprovante de residência e cópia do documento de identidade e no caso de pessoa jurídica: cópia do Estatuto ou Contrato Social com número do CNPJ. Parágrafo único. O candidato a associado, antes de completar dezoito anos, além das formalidades deste artigo, deverá apresentar, por escrito, a autorização do seu responsável.

Art. 8o A proposta será entregue a um dos Diretores da SNP e a Diretoria em um prazo nunca superior a trinta dias, após a discussão em reunião e verificações cadastrais de praxe, aprovará ou não a admissão do candidato a associado.

Parágrafo único. A Diretoria não terá obrigação de revelar os motivos que a levaram a negar a admissão de qualquer candidato.

SEÇÃO III – dos Deveres dos Associados

Art. 9o São deveres dos associados:

I – efetuar o pagamento das respectivas contribuições anuais fixadas pela Diretoria;

II – cumprir estritamente os preceitos estatutários e os do Regimento Interno da SNP em vigor, bem como, exercer zelosa e dedicadamente, todos os cargos e comissões para que forem eleitos ou designados;

III – respeitar as resoluções legalmente tomadas pelas Assembléias ou pela Diretoria;

IV – cooperar para a prosperidade e o bom nome da SNP;

V – comparecer as Assembléias e, sendo membro da Diretoria, às respectivas reuniões;

VI – zelar pela conservação da propriedade, instalações da sede e demais bens da SNP.

SEÇÃO IV – dos Direitos dos Associados

Art. 10. São Direitos dos associados, observados os dispositivos deste Estatuto:

I – tomar parte nas Assembléias Gerais, votar e ser votado;

II – exercer cargos na Diretoria;

III – solicitar à Diretoria, por escrito e justificadamente, com um quinto dos associados em pleno gozo dos seus direitos, a convocação de Assembléia Geral Extraordinária;

IV – freqüentar a sede social e utilizar-se de tudo o que é posto á disposição dos associados;

V – participar das reuniões sociais;

VI – receber uma Carteira Social mediante o pagamento de eventual taxa estipulada pela Diretoria.

SEÇÃO V – das Penalidades aos Associados

Art. 11. Os associados que infringirem as disposições deste Estatuto e do regimento interno em vigor são passíveis das seguintes penalidades:

I – advertência por escrito da Diretoria;

II – em caso de reincidência, censura, também por escrito;

III – na repetição dos atos delituosos ou transgressões, eliminação do quadro social.

§ 1o No caso de gravidade, a juízo da Diretoria, o associado poderá ser eliminado, sem advertência, assistindo-lhe o direito de defesa em reunião extraordinária de Diretoria, que será realizada dentro de quinze dias depois de tomar conhecimento da decisão por meio de correspondência protocolada.

§ 2o Além das penalidades mencionadas nos incisos I, II e III, o associado poderá ser suspenso por tempo determinado pela Diretoria. § 3o A prática comprovada de ato ilícito pelo associado, mesmo não tendo sido praticado no âmbito da SNP, poderá ensejar a aplicação das penas aqui previstas, a critério da Diretoria.

Art. 12. Da decisão de eliminar o associado, qualquer que seja o caso, caberá recurso à primeira Assembléia Geral que se realizar, ficando o associado eliminado, nesse ínterim, suspenso e privado de todos os seus direitos sociais, inclusive o de freqüentar a sede social.

SEÇÃO I – da Administração

Art. 13. ASNP será administrada pela Diretoria assim constituída:

I – Presidente;

II – Vice-Presidente;

III – 1o Secretário;

IV – 2o Secretário;

V – 1o Tesoureiro;

VI – 2o Tesoureiro;

VII – 1o Consultor Técnico;

VIII – 2o Consultor Técnico;

IX – Diretor de Divulgação;

X – Diretor de Patrimônio.

§ 1o Os membros da Diretoria não receberão remuneração alguma pelos serviços inerentes aos seus cargos ou que prestarem à SNP, nem ajuda de custo ou de representação;

§ 2o A Diretoria poderá deliberar para a formação de comissões especificas, sem ônus para a SNP por tempo determinado e nunca superior ao tempo remanescente de seu mandato.

SEÇÃO II – dos Mandatos

Art. 14. Os membros da Diretoria serão eleitos em Assembléia Geral Ordinária convocada especialmente para esse fim, na segunda quinzena do mês de maio. Aposse solene será realizada no mesmo dia, após a eleição;

§ 1o A Diretoria eleita terá um mandato de dois anos podendo ser reeleita;

§ 2o É vedada a segunda reeleição consecutiva de um Presidente, podendo, entretanto, seu nome constar em outro cargo dentro da Diretoria, exceto o de Vice-Presidente.

Art. 15. As licenças dos membros da Diretoria serão concedidas pelo Presidente e as deste pela Diretoria.

Art. 16. As vagas que ocorrerem na Diretoria serão preenchidas por associados Efetivos, escolhidos pelo Presidente, com a necessária aprovação da Diretoria, nas seguintes condições:

I – em caráter efetivo, nos casos de abandono de cargo ou exoneração;

II – em caráter Interino, nos casos de licença superior a sessenta dias. Parágrafo único. Perderá o mandato o Diretor que faltar a três reuniões de Diretoria consecutivas ou cinco alternadas, sem se justificar por escrito à Diretoria, ou por esta não as considerar justificadas.

Art. 17. Os cargos vagos na Diretoria poderão ser acumulados em caráter interino, até a nomeação de outro associado, nos termos do artigo anterior, sem direito a pluralidade de votos nas decisões da Diretoria, pelo exercício acumulativo de apenas um cargo.

Art. 18. No caso de renúncia ou impedimento definitivo do Presidente assumirá o Vice-Presidente, subseqüentemente e nesta ordem, o 1o Secretário, 1o Tesoureiro, 1o Consultor Técnico, Diretor de Divulgação, Diretor de Patrimônio, 2o Secretário, 2o Tesoureiro, 2o Consultor Técnico.

SEÇÃO III – das Competências

Art. 19. Compete ao Presidente:

I – representar a SNP em juízo e fora dele em todas as suas relações com terceiros, pessoalmente ou por procuração, investindo-se este de poderes especiais para cada caso;

II – presidir as reuniões da Diretoria e as solenidades que se realizarem na sede social, excetuadas as Assembléias Gerais Ordinárias e Extraordinárias, nas quais apenas procederá a abertura dos trabalhos;

III – receber donativos, contribuições, doações ou subvenções de qualquer natureza, mandando contabilizá-las, aceitando e assinando recibos, escrituras públicas ou particulares, ou outros documentos;

IV – assinar juntamente com o Tesoureiro, por quaisquer meios, inclusive eletrônicos ou outros que venham a ser criados, cheques emitidos pela SNP para pagamento de suas responsabilidades e endossar cheques e ordens de pagamento a favor da SNP;

V – rubricar e autorizar pagamentos de contas e despesas da SNP;

VI – apresentar a Assembléia Geral Ordinária, relatório das atividades da SNP, ao final de cada exercício;

VII – autorizar a contratação e a demissão de funcionários ou seus serviços profissionais, com a anuência da Diretoria;

VIII – resolver os casos não previstos nestes Estatutos, com a aprovação da Diretoria, a serem ratificados na primeira Assembléia Geral que, a seguir, se realizar;

IX – tomar medidas disciplinares, e indispensáveis ao fiel cumprimento destes Estatutos e dos regulamentos em vigor;

X – convocar Assembléias Gerais.

Art. 20. Compete ao Vice-Presidente:

I – substituir o Presidente nos seus impedimentos;

II – assessorar e representar o Presidente, por solicitação deste, em caso de necessidade;

III – substituir interinamente qualquer Diretor nos seus impedimentos;

IV – outras atribuições registradas em Ata, determinadas pelo Presidente e com anuência da Diretoria.

Art. 21. Compete ao 1o Secretário:

I – receber, distribuir a correspondência recebida aos diversos membros de Diretoria e colaboradores, conforme a sua destinação, respondendo-a, se assim for solicitado e expedir as correspondências da SNP;

II – organizar e conservar os arquivos da Secretaria, mantendo atualizado o registro dos associados;

III – redigir as atas das reuniões da Diretoria;

IV – transcrever na forma da Lei as atas das Assembléias Gerais e tomar providências para o seu registro;

V – ter sob sua custódia os documentos legais da SNP, exceto os que ser referirem à Contabilidade e ao Patrimônio;

VI – outras atribuições registradas em Ata, determinadas pelo Presidente e com anuência da Diretoria.

Art. 22. Compete ao 2o Secretário:

I – auxiliar e substituir o Secretário nos seus impedimentos;

II – outras atribuições registradas em Ata, determinadas pelo Presidente e com anuência da Diretoria.

Art. 23. Compete ao Tesoureiro:

I – manter em dia os serviços de contabilidade, aplicando as regras usuais à escrituração contábil;

II – abrir por indicação do Presidente e com anuência da Diretoria, contas em estabelecimentos bancários em nome da SNP, movimentando-as por meio de cheques, ordens de pagamento e outras, sendo que os documentos que impliquem na saída de valores do caixa deverão ser assinados em conjunto com o Presidente ou, no impedimento deste, o Vice-Presidente;

III – organizar e executar a cobrança das anuidades dos associados e outras receitas, fornecendo os competentes recibos;

IV – providenciar o pagamento de todas as contas e obrigações, taxas e impostos da SNP;

V – manter sob sua guarda o numerário e os valores pertencentes a SNP;

VI – ter sob sua custódia os documentos e livros contábeis;

VII – outras atribuições registradas em Ata, determinadas pelo Presidente e com anuência da Diretoria.

Art. 24. Compete ao 2o Tesoureiro:

I – auxiliar e substituir o Tesoureiro nos seus impedimentos;

II – outras atribuições registradas em Ata, determinadas pelo Presidente e com anuência da Diretoria.

Art. 25. Compete ao Consultor Técnico:

I – responder as consultas técnicas que lhe forem feitas sobre os assuntos numismáticos;

II – orientar, quando solicitado, associados ou associações congêneres na organização de exposições, cursos, palestras e outros assuntos numismáticos;

III – organizar os elementos necessários para a realização das trocas indiretas entre associados;

IV – outras atribuições registradas em Ata, determinadas pelo Presidente e com anuência da Diretoria.

Art. 26. Compete ao 2o Consultor Técnico:

I – auxiliar e substituir o 1o Consultor Técnico nos seus impedimentos;

II – outras atribuições registradas em Ata, determinadas pelo Presidente e com anuência da Diretoria.

Art. 27. Compete ao Diretor de Divulgação:

I – manter a linha editorial das publicações, conforme orientação do Presidente e com anuência da Diretoria;

II – compilar, ordenar e selecionar o material oferecido à publicação;

III – angariar o material publicitário, para oferecer a sustentação financeira das publicações;

IV – estabelecer contatos com outros veículos de comunicação, objetivando a publicação de matérias sobre numismática;

V – organizar e gerenciar o “site” da SNP na Internet;

VI – outras atribuições registradas em Ata, determinadas pelo Presidente e com anuência da Diretoria.

Art. 28. Compete ao Diretor de Patrimônio:

I – a organização, catalogação e conservação da Biblioteca;

II – promover a compilação e encadernação de documentos e obras de interesse para a SNP;

III – promover se necessário o expediente de permutas de duplicatas de livros e de aquisição de obras que completem as existentes, de interesse para a SNP;

IV – promover e supervisionar a consulta ao acervo da biblioteca;

V – criar registro especial para as peças do Patrimônio que tenham maior relevância, para efeito de prestação de contas nas Assembléias Gerais;

VI – outras atribuições registradas em Ata, determinadas pelo Presidente e com anuência da Diretoria.

01- DAS ASSEMBLÉIAS ORDINÁRIAS E EXTRAORDINÁRIAS

SEÇÃO I – das Assembléias Ordinárias e Extraordinárias

Art. 29. A Assembléia Geral é o órgão superior da SNP e será convocada com antecedência mínima de oito dias, utilizando-se dos elementos de comunicação da SNP, inclusive eletrônicos ou outros que venham a ser criados e afixação de aviso de convocação na sede social, mencionando dia, hora, local e matéria a ser discutida ou votada.

Art. 30. A Assembléia Geral Ordinária, ora simplesmente denominada A.G.O., reunir-se-á:

I – uma vez a cada ano, no mês de maio para a apreciação de contas;

II – uma vez a cada dois anos, na segunda quinzena do mês de maio, para eleger a Diretoria do Biênio subseqüente, que será empossada preferencialmente na mesma A.G.O.

Art. 31. As Assembléias Gerais Extraordinárias, ora simplesmente denominada A.G.E., realizar-se-ão mediante solicitação:

I – do Presidente;

II – da maioria dos membros da Diretoria;

III – de um quinto dos Associados Efetivos em dia com as suas obrigações estatutárias, desde que do pedido conste o objetivo da convocação.

Parágrafo único, caberá à Tesouraria fornecer o número de sócios quites.

Art. 32. Nas Assembléias Gerais Ordinárias e Extraordinárias, de que tratam os artigos anteriores, os associados se reunirão em primeira convocação, com a presença de no mínimo a metade dos associados Efetivos, e, em segunda convocação meia hora depois, com qualquer número de associados presentes, em dia com suas obrigações estatutárias e quites com a Tesouraria da SNP.

Art. 33. As Assembléias Gerais serão abertas pelo Presidente que transmitirá a direção dos trabalhos ao sócio que for aclamado Presidente da Assembléia Geral.

Art. 34. Cabe à Assembléia Geral Extraordinária, especialmente convocada para este fim, reformar o Estatuto.

SEÇÃO II – das Eleições

Art. 35. A eleição será feita através de chapas completas, com candidatos para todos os cargos.

Art. 36. Poderão concorrer às eleições as Chapas que obedeçam as seguintes condições:

I – todos os componentes devem preencher todos os requisitos estabelecidos neste Estatuto;

II – as chapas devem ser registradas com uma antecedência mínima de quinze dias antes do início previsto do período das eleições, mediante ofício com a assinatura de todos os seus componentes, entregues ao 1o Secretário da SNP

§ 1o – Um candidato não poderá participar de mais de uma chapa.

§ 2o – As chapas inscritas serão apresentadas aos associados somente através dos instrumentos de divulgação da SNP e afixadas no quadro de avisos da sede social desde o dia de seu registro até odiada eleição.

Art. 37. Para o Cargo de Presidente e o de Vice-Presidente, somente poderão candidatar-se os associados Efetivos, Contribuintes ou Remidos em dia com as suas obrigações estatutárias e nas seguintes condições:

I – ser maior de dezoito anos e possuir cidadania brasileira;

II – possuir quatro anos ininterruptos como associado efetivo;

Art. 38. Aos demais cargos de Diretoria poderão candidatar-se os associados Efetivos, Contribuintes ou Remidos maiores de dezoito anos, que tenham pelo menos um ano como associado e que estejam em dia com as suas obrigações estatutárias.

Art. 39. Só poderão votar os associados Efetivos e Correspondentes admitidos até cento e oitenta dias antes do dia das eleições e que estejam em dia com as suas obrigações estatutárias.

§ 1o – A data considerada da filiação é a da realização da reunião de Diretoria que aprovou o associado e não a constante na proposta da admissão.

§ 2o – Nenhum associado poderá votar por procuração.

Art. 40. O escrutínio será secreto, com cédulas padronizadas, fornecidas pela SNP, colocadas dobradas na urna, considerando-se vencedora a chapa que obtiver maioria simples de votos.

§ 1o – As cédulas que contenham nomes riscados ou outras inscrições serão anuladas.

§ 2o – Em caso de empate, fica eleita a chapa com o Presidente que tiver maior tempo de filiação e em caso de novo empate, a idade do candidato.

Art. 41. Para atender aos seus propósitos, a SNP contará com recursos financeiros provenientes de:

I – contribuições Anuais;

II – rendas das Trocas Indiretas entre associados;

III – doações, de origem pública ou privada;

IV – outras eventuais receitas.

Art. 42. Os valores das contribuições anuais, descontos e prazos serão fixados e regulamentados pela Diretoria.

Art. 43. Os associados que deixarem de pagar as suas contribuições anuais estarão sujeitos as seguintes sanções:

I – acumuladas duas anuidades em débito, serão automaticamente desligados do quadro social;

II – o associado desligado pelo motivo da alínea anterior, caso pretenda reingressar no quadro social, deverá efetuar o pagamento das duas anuidades não pagas no ato do seu desligamento e a anuidade do ano vigente, todas pelo valor da anuidade vigente e outras taxas que porventura venham a ser criadas.

Parágrafo único. Exclui-se o período de desligamento da contagem de tempo de filiação.

Art. 44. Qualquer associado que esteja em dia com suas obrigações estatutárias, poderá solicitar afastamento temporário de sua afiliação, desde que o faça por escrito e justificadamente à Diretoria, que estudará e deliberará a respeito, para formalização do seu retorno será necessária a emissão de uma nova carta e o pagamento da anuidade vigente na época do seu retorno.

Parágrafo único. Exclui-se o período de afastamento da contagem de tempo de filiação.

Art. 45. Somente os associados que estejam em dia com as suas obrigações estatutárias poderão solicitar sua exclusão do quadro social.

Art. 46. Os associados que não efetuarem os pagamentos dos lances vencedores nas trocas indiretas entre associados, feitas pelo sistema de venda pela maior oferta, dentro dos prazos estabelecidos, ficarão suspensos de participar da próxima troca indireta ou impedidos até a regularização da ocorrência, a critério da Diretoria.

SEÇÃO I – Móveis e Imóveis

Art. 47. O patrimônio da SNP é constituído dos bens móveis, imóveis e direitos que já lhe pertençam ou que venham a pertencer por aquisição ou doação.

Art. 48. Os bens patrimoniais que a SNP possui ou venha a possuir só poderão ser alienados ou onerados de qualquer responsabilidade quando a operação se destinar única e exclusivamente à aquisição de outro Imóvel de valor igual ou superior ao existente ou a benfeitorias destinadas a valorizar o patrimônio total da SNP, ajuízo da A.G.E. expressamente convocada para tal fim.

SEÇÃO II – Biblioteca

Art. 49. A Biblioteca destina-se a conservar e expor os objetos de caráter histórico e numismático pertencentes à SNP ou a ela confiados.

§1o A biblioteca terá como conservador o Diretor de Patrimônio, cuja responsabilidade será:

I – ter a seu cargo a organização, conservação e catalogação das espécies, dentro do melhor critério científico e educativo, submetendo previamente o plano de catalogação e arrumação da Biblioteca à aprovação da Diretoria;

II – elaborar registro das peças existentes e das que foram doadas ou adquiridas;

III – receber, selecionar e registrar as peças para exposição na SNP e na Biblioteca, obtidas por doação ou aquisição.

Art. 50. Ao final da gestão, a Diretoria deverá apresentar o balanço contábil encerrado em 31 de Dezembro, dentro de todas as normas contábeis legais vigentes, sendo assinado pelo Presidente e pelo Tesoureiro; Parágrafo único: Será apresentado nessa ocasião, pelo Diretor de Patrimônio, o relatório das peças de maior relevância.

Art. 51. O Presidente nomeará uma Comissão de Contas de, no mínimo, dois associados, para estudar e dar parecer sobre o balanço, além de ratificar a existência dos itens atados no relatório das peças de maior relevância.

Art. 52. O Balanço e o Relatório deverão ser afixados na sede social e quando possível publicado no Boletim ou através de outros elementos de comunicação.

Art. 53. A Sociedade Numismática Paranaense não será dissolvida, nem sua denominação substituída, sem que assim delibere a maioria dos seus associados Efetivos, em pleno gozo dos seus direitos, reunidos em A.G.E., seja na primeira ou na “enésima” convocação.

Art. 54. No caso de dissolução da Sociedade Numismática Paranaense, o seu patrimônio móvel e imóvel será doado a instituição congênere a critério da A.G.E. especialmente convocada para essa dissolução.

Art. 55. Os associados, quaisquer que sejam as suas categorias, não respondem pessoal nem solidariamente pelas obrigações da SNP.

Art. 56. Os títulos e direitos concedidos aos associados na forma dos Estatutos anteriormente vigentes, serão respeitados na sua integralidade.

Art. 57. Estes Estatutos, aprovados pela Assembléia Geral Extraordinária, realizada em dois de abril de 2011 especialmente convocada para tal fim entrarão em vigor após o respectivo Registro no Cartório de Títulos e Documentos.